A Associação dos Profissionais da Segurança (APS) vem através de nota repudiar a ação da Universidade de Fortaleza (Unifor), na noite da última segunda-feira (18), que solicitou ao aluno do curso de Direito e soldado da Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE), Rafael Moura, que não ficasse no campus devido estar fardado e armado. Neste mesmo dia o aluno seria submetido a uma prova.

“Enquanto esperava o horário da minha prova fui interpelado por um segurança, que me perguntou se eu estava de serviço para estar portando arma, e que eu devia retirar minha arma por estar ofendendo e constrangendo os alunos e professores. Respondi então que de maneira nenhuma iria me desarmar, pois tinha autorização legal para andar armado e que estava fardado, portanto qualquer um saberia que se tratava de um PM”, declarou Rafael.

Já no início da aplicação da prova, mais uma vez o aluno foi abordado. “Quando estava iniciando a minha prova, um senhor, que se apresentou como superior do segurança que me abordou anteriormente, veio me fazer o mesmo pedido dizendo que eu havia assinado o contrato onde não poderia estar armado. De pronto falei que contrato não revoga lei, que meu porte é em consonância com a Lei do Desarmamento e Portaria do Comando Geral da Policia Militar do Ceará, e era de caráter ostensivo por eu estar fardado”, explicou o aluno.

Após finalizar a prova e ter feito a mesma abalado emocionalmente, Rafael foi chamado novamente para conversar sobre o assunto. “Fui chamado na sala do coordenador, e este me pediu que eu evitasse assistir aula fardado e armado para evitar qualquer constrangimento”. A instituição, na mesma noite, promoveu três atos de preconceito com o policial.

O policial tem um trabalho desgastante, longe da família, sofre perseguições de todos os lados e com seu esforço busca conhecimento através das universidades. Justamente no curso de Direito o seu “direito” é cerceado!

É a segunda instituição de ensino que promove esse tipo de ação. Em 2014, a soldado Emanuele Alves foi impedida de assistir aula por estar fardada e armada nas instalações da Universidade Federal do Ceará. Em 2016 a UFC já foi condenada em primeira instância pelo ato e o processo segue.

A APS está à disposição do policial militar com todo o nosso suporte jurídico para que ações como essa não se perpetuem no Estado do Ceará. Um completo desrespeito à figura do profissional de Segurança Pública que dá a sua vida em favor da sociedade, trazendo ordem e paz para todos!

> Saiba mais sobre o assunto através do nosso #BizuJurídicohttps://aps.net.br/bizujuridico-porte-de-armas-em-ambiente…/

> Relembre o caso da soldado Emanuele Alves: http://bit.ly/2FfXDnp

#APS #APS5anos #APSLuta #JuntosSomosMaisFortes #PMCE#PreconceitoNão