O ano de 2017 no Ceará entrou para história como sangrento com o total descaso do Governo do Estado para lidar com a Segurança Pública. Foram mais de 5 mil assassinatos: um recorde triste que temos que amargar. A quantidade de assassinatos registrados é 47,4% maior que a de 2016, quando o estado teve 3.407.

Número de assassinatos no Ceará

Se comparado com 2015, quando ocorreram 4.019 mortes, o aumento em 2017 foi de 24,9%. Em 2014, foram 4.439 mortes 11,6% menor que neste ano. O número inclui ocorrências de homicídios dolosos (quando há intenção de matar), latrocínios e lesões corporais seguidas de mortes. Outubro foi o mês mais violento do Ceará, com um total de 516 assassinatos registrados.

Mas esse aumento não é só nos Crimes Violentos Letais e Intencionais

Balanço de roubos e furtos entre 2016 e 2017

(CVLIs), o Ceará também registrou crescimento nos roubos e furtos. Os dados de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) tiveram, em 2017, aumento de 4,6%. Se no ano anterior aconteceram 72.661 casos, em 2017 foram registradas 76.047 ocorrências.

O estranho é ver mais um governo se vangloriar de ser o que mais investiu em segurança e seguirmos numa escala galopante que só cresce a cada ano. Será certo chamar de investimento um gasto que não rende o retorno almejado? Se não faltaram recursos, onde está o erro?

E agora a nova onda é dizer que o problema é nacional e transferir a competência para o Governo Federal. Estranho que essa conclusão não foi antes ventilada quando Governo Federal e Estadual pertenciam ao mesmo partido? Mas ainda assim, vale lembrar que alguns Estados conseguiram bater suas metas e reduziram a escalada da criminalidade. Quando teremos um governo que seja capaz de reconhecer que falhou no seu projeto de segurança? Até quando insistiremos em jogar todo o peso da segurança pública nos ombros da Polícia Militar?

Antes de cobrarmos dos de fora, vamos fazer o que nos compete. Governador, o judiciário cearense também é responsável, o Ministério Público e a Assembleia Legislativa, que já poderia ter instaurado a CPI do narcotráfico.

O povo cearense não pode ficar esperando uma solução do presidente da República, quando elegeu um governo diretamente para isso.

Leia também:

“O CRIME ORGANIZADO GANHA APOIO AÉREO DA CIOPAER”

CEARÁ: FACÇÃO AMEAÇA E CONSEGUE TRANSFERÊNCIA DE PRESO

Deixe seu comentário