Nas duas últimas semanas, os agentes de segurança do Estado do Ceará passaram por uma série de ataques, que estão sendo esquecidos ou sequer citados pelo Governo do Estado do Ceará.

Camilo Santana e sua equipe de segurança pública estão mais preocupados em divulgar números positivos, com relação a uma “falsa” diminuição da violência, do que se pronunciar e investir na pasta, seja em melhores armamentos, treinamento e no tão aguardado reajuste da categoria.

Segundo dados divulgados no último dia 10 de outubro, pelo Governo do Estado, Fortaleza teve redução no número de mortes em 57,5% em setembro. Isso significa que, se comparado ao mesmo período do ano passado, quando aconteceram 134 crimes, houve uma redução significativa para 57 ocorrências em 2016.

Esses dados divulgados não condizem com a realidade que a população e os agentes de segurança do Ceará vivem cotidianamente. Estamos vivendo há muitos meses uma situação crítica na segurança pública e o Governo se preocupa, apenas, em mostrar números.

Já os números e valores de aplicação nos profissionais de segurança não são divulgados, logo por que não existem! A população clama por uma segurança pública eficaz, com equipamentos de ponta e profissionais motivados!

> Confira a lista de ataques:

– 1º Caso: Na quarta-feira (11/10), um sargento que estava de folga foi atacado por bandidos e baleado na Rua Barão de Canindé, no bairro Montese. O crime foi filmado. Dois criminosos tentaram render o PM para, provavelmente, roubar sua caminhonete. Mesmo baleado ele reagiu e os ladrões fugiram. O militar foi internado e não corre risco de morte.

– 2º Caso: Na sexta-feira (14), um sargento do Comando Tático Rural (Cotar) trocou tiros com assaltantes dentro de um ônibus, na Estrada do Algodão (CE-060), no Município de Quixeramobim (201km da Capital). Ele matou um dos criminosos e ficou ferido.

– 3º Caso: No mesmo dia, um PM foi ferido a tiros ao reagir contra criminosos que praticavam assaltos nas ruas do bairro Antônio Bezerra, na Zona Oeste de Fortaleza.

– 4º Caso: Também na sexta-feira (14), no bairro Montese, em Fortaleza, bandidos armados assaltaram uma loja de telefone celular e acabaram matando o tenente PM Marcos Lira, que entrou no local sem saber que estava ocorrendo o roubo. Um dos ladrões também foi morto por outro militar.

– 5º Caso: Na manhã de segunda-feira (17), um policial civil aposentado ficou ferido a tiro durante ataque de assaltantes em uma “chegadinha” bancária, na porta da agência do Banco do Brasil do Conjunto Ceará. No tiroteio, um dos ladrões foi baleado e morreu. Outros quatro acabaram presos, sendo dois deles também feridos.

– 6º Caso: Também na segunda-feira (17), bandidos atacaram a residência de um escrivão da Polícia Civil, no bairro Luciano Cavalcante, em Fortaleza. Ele a família viraram reféns dos criminosos, que roubaram sua arma e muitos objetos da casa.

– 7º Caso: Na manhã da última quarta-feira (19), um sargento do Corpo de Bombeiros foi atacado por bandidos no bairro Monte Castelo. Ele trocou tiros com os ladrões, conseguindo ferir um deles. O comparsa fugiu. O militar saiu ileso.

#APSLuta, #SegurançaPúblicaEsquecida, #GovernoSemDiálogo

Deixe seu comentário