No último sábado (16/09), um policial civil foi feito refém durante resgate de preso no 29º Distrito Policial, no bairro Pajuçara, em Maracanaú. O policial foi rendido por dois homens e uma mulher, que disseram, inicialmente, que teriam ido deixar o jantar de um interno.

O casal entrou na delegacia e após pedir para entregar a alimentação para Gleilson Silva de Oliveira (30), outro homem apareceu. Armado, o terceiro suspeito mandou o inspetor a abrir a cela e o prendeu, enquanto o preso era liberado. A pistola ponto 40 do policial foi roubada pelo grupo, que fugiu em seguida. Uma metralhadora e uma escopeta também foram levadas.

Estamos no fim da linha para a Segurança Pública. É inconcebível que os agentes de segurança do Ceará tenham suas vidas colocadas em risco desta forma. Tudo isso porque o Estado insiste em colocar estes profissionais em desvio de função, custodiando presos. O inspetor que deveria está trabalhando nos inquéritos e investigações policiais, estava cuidando de 13 presos, que são responsabilidade da Secretaria de Justiça (Sejus). Governador Camilo Santana, lugar de preso é no presídio. E função de policial civil é fazer investigação.

Deixe seu comentário