Segundo o delegado titular da Divisão de Antissequestro (DAS), Antônio dos Santos Pastor, o sequestro das crianças, ocorrido na última quinta-feira, foi planejado durante um mês pelo empresário do ramo de frigorifico, Marcílio Mendonça Damasceno.

O delegado informou que o crime foi tramado por conta de dividas, de aproximadamente 100 mil reais que o suspeito tinha com a empresa que fornecia carnes aos seus frigoríficos e não tinha dinheiro para pagar. O pai de uma das crianças trabalha nessa empresa como responsável do setor financeiro.

No último dia 14, cinco envolvidos na ação foram presos. A Polícia Civil continua a realização de buscas aos outros dois suspeitos que já foram identificados e participaram do planejamento e negociação do sequestro.  Segundo o delegado, o responsável por planejar o crime, Marcílio Mendonça Damasceno, proprietário de dois frigoríficos na Barra do Ceará, não tinha condições de pagar a dívida e por isso queria sequestrar o tesoureiro da empresa.

Conforme informações do DAS, Marcílio contratou um amigo, que não teve o nome divulgado e está foragido, para elaborar a “parte criminosa” do plano. O homem contratado ficou responsável pelas negociações com a família depois que as crianças estavam em poder dos sequestradores. Santos Pastor disse que Marcílio conhecia alguns criminosos da Barra do Ceará e contratou esse pessoal para a parte violenta da ação.

A ação

Após o planejamento, o plano foi colocado em ação na quinta-feira (13/10), com cinco homens em dois carros, o grupo dirigiu-se à escola das crianças no bairro Praia de Iracema. Os criminosos levaram as vítimas para o cativeiro na praia da Taíba, em São Gonçalo do Amarante. Na casa, o grupo pediu uma grande quantia para o resgate, mas na noite do mesmo dia, a Coordenadoria de Inteligência (Coin) em parceria com a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), identificou o líder e na sexta-feira, cerca de 13h, ele foi levado para o cativeiro onde a Polícia Civil resgatou as vítimas.

Deixe seu comentário