O presidente da Associação dos Profissionais de Segurança do Ceará (APS), Reginauro Sousa, em entrevista ao jornal O Povo, lamenta a morte do Francisco Leandro Conceição Santana, o 25° profissional da segurança morto no Ceará em 2017. “Temos a infelicidade do fato de a criminalidade estar cada dia mais atuante. Quando os agentes da segurança pública são identificados, fica provado que o homicídio só ocorre por se tratar de um agente de segurança”, relata.

Na entrevista Reginauro afirma que os criminosos não temem mais o poder das polícias. Segundo ele,  em outras décadas, evitava-se atirar quando era identificado um profissional de segurança. “Hoje, esse agente é sumariamente assassinado e isso é lamentável. É preciso dar uma resposta à altura”, avisa. Para ele, seria necessário as polícias se anteciparem aos crimes, para prender os chefes das quadrilhas e diminuir o poder das facções.

O soldado da Polícia Militar morto a tiros na madrugada de ontem, durante a comemoração do acesso do time Fortaleza à Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol, estava lotado na 2ª Companhia do 8º Batalhão de Polícia Militar. Ele foi levado ao Instituto José Frota (IJF), no Centro, mas não resistiu aos ferimentos. Com o soldado, sobe para 25 o total de profissionais de segurança assassinados no Ceará somente em 2017.

As investigações do crime estão ao cargo da 11ª delegacia da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), unidade designada para apurar crimes contra profissionais de segurança do Estado. Em nota, a SSPDS informou que diligências estão em andamento com o objetivo de apurar as circunstâncias do crime, e de identificar e prender os criminosos.

 > Confira matéria completa: https://goo.gl/tUN67n

Deixe seu comentário