Na manhã desta quinta (09) o XIII ENERP abordou o tema “Os Militares e as Reformas”, e contou com a presença do ex-presidente da Associação de Praças de Santa Catarina (Aprasc) e ex-diretor da Anaspra, sargento da reserva Amauri Soares e do tenente da Polícia Militar do Estado do Ceará e blogueiro Anderson Duarte, que mostrou as principais PECs solicitadas pelos militares que estão na Câmara Federal, dentre elas a 443/2015 que fala sobre o direito de sindicalismo, 431/2014 sobre Ciclo Completo, 148/2015 que solicita o fim das prisões disciplinares e a 44/2015 que define uma carga horária para os policiais.
 
Anderson acredita que as reformas deverão afetar os policiais e bombeiros militares. “Somos profissionais da segurança pública, por isso temos que nos diferenciar os militares das Forças Armadas”, disse. Ele destacou ainda as especificidades da carreira dos policiais e bombeiros militares.“Nós somos trabalhadores diferentes das demais categorias, mas somos trabalhadores”.
 
Acreditamos e defendemos em uma urgente aprovação das PECs, pois a sociedade civil precisa entender que temos uma profissão diferenciada e necessitamos de normas para que possamos ter acesso a direitos como qualquer trabalhador comum, para assim, oferecer um trabalho de qualidade à população. Imaginem vocês uma categoria que não pode se sindicalizar, que não tem carga horária específica e que ainda são forças auxiliares do Exército?! Pois bem, essa é a triste realidade dos policiais brasileiros!

Deixe seu comentário