Ontem, dia 26 de novembro, a liminar que determinava a reintegração do Cabo Sabino aos quadros da Polícia Militar foi suspensa. O desembargador Luiz Gerardo de Pontes Brígido, presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), foi o responsável pela decisão.

Cabo Sabino foi expulso em 2013, acusado de ser incapaz de permanecer no serviço. Contudo, a expulsão não passa de uma perseguição política, que pretende oprimir os policiais que não apoiam o governo vigente. Toda a categoria de profissionais de segurança pública do estado do Ceará, sofrem a há oito anos com um governo contra á segurança, que perseguem líderes da categoria, massacram aqueles que vivem em serviço de combater o crime e de proteger a população.

Eleito Deputado Federal, com 120.485 de votos, Cabo Sabino interpôs ação na Vara do Juízo Militar, com pedido de liminar, solicitando a reintegração, alegando nulidade do ato administrativo. O Estado requereu a suspensão dos efeitos da medida no TJCE. Ao analisar o caso, o chefe do Poder Judiciário cearense suspendeu a liminar.

Ficamos questionando até onde pode haver competência no caso, já que a liminar concedida ao Cabo Sabino foi da Justiça Militar. Já o nobre Desembargador é da Justiça Comum, além disso, em todo o processo constam relatos de que a reunião era meramente informativa sobre os avanços de negociação com o Governo.

Mas sabemos que isso é resultado de mais uma manobra arbitrária por parte de aliados do Governo a fim de tornarem esse grande líder inelegível. Pois, é notório o uso desse tipo de força para tentar silenciar aqueles se opõem às ideias ditatoriais daqueles que comandam o Ceará. A Isto É que o diga.

 Acompanhe abaixo o que diz o Cabo Sabino

“Gostaria de tornar público que minha demissão da PMCE nunca passou de pura perseguição política, pois não roubei, nunca matei ou cometi improbidade administrativa. Se lutar por direitos e garantias tantas vezes negadas aos militares estaduais por esse governo, bem como por uma segurança pública de qualidade ao povo cearense, for crime,então os cometi. Considero um equívoco o parecer do presidente do tribunal de justiça do Ceará ao entender que não reúno condições morais de permanecer nos quadros da PMCE.

Pois, não é este o entendimento do povo cearense que me elegeu Deputado Federal com 120.485 votos, demonstrando assim que reúno condições morais, não apenas para defendê-los como profissional de segurança pública, mas para representá-los na Câmara Federal deste país em todas as áreas, visto que fui eleito com o nome de Cabo Sabino.

Espero que não seja mais uma perseguição política, pois a sofrida em 2013 foi contra o Cabo Sabino, a presente é contra a vontade do povo cearense e contra a democracia.

Cb Sabino – Deputado Federal Eleito / PR”

Deputado estadual eleito Capitão Wagner e deputado federal eleito Cabo Sabino.

Deputado estadual eleito Capitão Wagner e deputado federal eleito Cabo Sabino.

 

Deixe seu comentário