Há anos a Associação dos Profissionais da Segurança (APS) vem cobrando do Governo do Estado uma atenção maior para o Instituto de Saúde dos Servidores do Estado do Ceará (Issec), que está considerado falido. A saúde dos servidores permanece em crise, desde a gestão passada, e o instituto não tem verbas suficiente para suprir a demanda. 

A APS vem reiterando os pedidos de atenção ao ISSEC, como nosso principal suporte de saúde para os servidores do Estado, que não têm uma remuneração digna para optar por um plano de saúde, através do Secretário de Segurança, André Costa. Finalmente o instituto recebeu um mínimo alento com a liberação de R$ 11 milhões em recursos do Governo do Estado para sanar os problemas mais graves; porém a quantia não é suficiente para estabilizar o instituto ou deixá-lo em uma situação confortável. 

O valor é direcionado ainda para esse ano. Segundo informações de representantes do ISSEC, o recurso garante apenas os atendimentos emergenciais e liberações de algumas cirurgias eletivas graves, que sejam equiparadas aos atendimentos emergenciais. Já os procedimentos simples, continuarão com dificuldades de realização. Resumindo, ainda estamos longe do fim deste drama, que enfrenta o servidor, ao buscar atendimento de saúde pelo instituto. 

Mas nós não desistiremos! Nossos servidores merecem muito mais, pelo tanto que se doam à segurança pública. O valor não é suficiente para suprir as necessidades e oferecer uma saúde de qualidade. O Governo sabe que a demanda aumentou, mas ainda assim, a verba destinada ao instituto foi reduzida na gestão atual. Com essa desproporcionalidade não há condições de continuar. Não vamos parar de cobrar enquanto a situação não for modificada.

Deixe seu comentário