Uma luta que já dura mais de dois anos e a única coisa que eles querem: realizar o sonho de servir a sociedade! Esta é a realidade dos 748 remanescentes do Corpo de Bombeiros do Ceará (CBMCE) que esperam ansiosos a convocação da 2ª turma.

Atualmente, o efetivo do CBMCE conta com cerca de 1.600 homens ativos, uma carência de aproximadamente 55% no quadro de praças.

A instituição possui menos da metade do contingente que deveria. Um número abaixo do que está previsto por lei que é de 3.820 profissionais. “Hoje, o Corpo de Bombeiros tem uma defasagem de efetivo, que poderia ser amenizado com a chamada imediata de todos esses candidatos. Há mais de 20 anos, eram cerca de 1.500 homens e hoje são pouco mais de 1.600 para atender todo o Estado”, declarou Reginauro Sousa, presidente da Associação dos Profissionais de Segurança (APS).

A Corporação segue quase sem alterações, enquanto a população do Ceará segue crescendo. A Instituição já passou um período de 14 anos sem receber nenhum profissional e, agora, que 748 foram aprovados e estão disponíveis, por que não convocá-los?

A APS já realizou reuniões com os remanescentes, fez denúncias através de documentos e dos meios de comunicação e não vai descansar enquanto estes 748 não forem convocados. Esperamos, ainda, que esta lacuna imensa não permaneça pela falta de atenção. Pois, para o CBM funcionar bem, é necessário o aumento do efetivo. Os remanescentes sonham e a população precisa!

 

Deixe seu comentário