Na manhã desta quinta (21/09), a Associação dos Profissionais da Segurança (APS) participou de mais uma edição da reunião da mesa setorial de Segurança Pública, na SSPDS, e foi presidida pelo secretário da pasta, André Costa. A APS foi representada pelo seu presidente, Sargento Reginauro Sousa.
Antes das pautas já agendadas, o secretário anunciou a liberação de verba para a construção de dois presídios no intuito de acabar com os xadrezes nas delegacias e, também o pregão para a compra de novas pistolas que acontece no próximo dia 10 de outubro. “Nesse primeiro momento serão adquiridas 6.500 pistolas. Será a primeira fase de várias compras com o objetivo de padronização das armas”, declarou o secretário.

No primeiro momento, a equipe da Academia Estadual de Segurança Pública (AESP) apresentou o Plano de Capacitação Continuada e Prática de Tiro e Sobrevivência Policial para os Profissionais da SSPDS. O plano irá, nessa primeira fase, contemplar a Polícia Militar, Civil, Bombeiros e Perícia Forense. Cada turma deverá cumprir uma carga horária de 40 horas-aula de Técnicas Operacionais e 20 h/a de Armamento e Tiro.

Segundo o secretário, devido ao aumento da criminalidade, inclusive vitimando os profissionais de segurança, será proposta também a disciplina Sobrevivência Policial que engloba técnicas e procedimentos a serem aplicados em situações tanto de serviço policial, como na folga dos profissionais. “A disciplina visa maior qualificação, aperfeiçoamento e desenvolvimento necessários para as situações de risco dos profissionais no objetivo principal de resguardar a vida de todos”, declarou André.

Na ocasião, o presidente da APS lembrou a todos sobre a preocupação que deve ter com os multiplicadores das informações repassadas e com relação à qualidade de tiro dos militares. “Precisamos ter um maior cuidado com a qualidade nesse tipo de formação, para que o profissional tenha conhecimento sobre a forma certa e estratégica para saber lidar nas diversas ocorrências”, enfatizou Reginauro.

“Os profissionais, atualmente, estão usando suas técnicas pessoais nas ruas. Eu, enquanto bombeiro, já tive que intervir em uma ocorrência policial que dois profissionais não conseguiram fazer a imobilização de uma pessoa. Era uma cobrança antiga (esse tipo de treinamento), mas precisamos nos preocupar, também, com outros pontos”, apontou o presidente da APS.

No segundo momento, a comitiva que esteve no Paraná para conhecer projetos sociais para os profissionais de segurança, com foco em habitação, mostrou ao secretário as informações sobre a viagem, especificamente, as visitas à Associação Vila Militar e à Companhia de Habitação do Paraná. Ao final da reunião ficou acertado que os direcionamentos referente às ideias de habitação para os profissionais de segurança serão repassados para o secretário André Costa, para posteriormente ser enviado ao governador Camilo Santana.

Deixe seu comentário