A Associação dos Profissionais da Segurança fará a defesa dos agentes socioeducadores presos na manhã de ontem, 15 de novembro. Dos dez mandados expedidos pela justiça de Aquiraz, nove foram cumpridos com a prisão temporária de alguns dos agentes. A prisão baseia-se exclusivamente no depoimento de adolescentes internados provisoriamente no presído militar, em Aquiraz, que alegaram terem sofrido espancamento por parte dos agentes. A APS e seu corpo jurídico realizarão a defesa destes pais de família, que tiveram seus nomes divulgados pela imprensa sem que sequer tenham sido ouvidos para apresentar suas defesas.

É lamentável o quadro que estamos vivenciando tanto no sistema prisional para adultos quanto no encarceramento de adolescentes. Há meses vem sendo divulgado os relatos de rebeliões por parte dos adolescentes, mas pouco se falou das péssimas condições às quais são submetidos os agentes socioeducadores. Humilhados em seus trabalhos, espancados, um deles com riscos de sofrer lesões permanentes no braço, sem estabilidade em seus empregos, recebendo um péssimo salário enquanto organizações recebem bem mais para administrar o caos, a categoria procurou o apoio do Estado, sem sucesso.
Agora parecem querer colocar todos os problemas do combalido sistema de ressocialização estatal unicamente nos agentes socioeducadores. Não se pode aceitar tal situação por parte do Estado, que este proporcione um ambiente melhor de trabalho a todos, adolescentes e agentes socioeducadores.
Paralelamente, entidades trabalham a soltura de quase 200 adolescentes apreendidos, pois os mesmos estariam em condições degradantes. A falha do sistema socioeducativo agora é desculpa para anistiar adolescentes que roubaram, ou mesmo mataram? Que a Justiça reveja esse caso, que pode resultar em um caos ainda maior para a sociedade.

Deixe seu comentário