O advogado da Associação dos Profissionais de Segurança (APS), Fabricio Crisostomo, acionou o Estado e o Município em uma ação de obrigação de fazer, com pedido de tutela de urgência, para que sejam pagos os medicamentos de um associado.

O sargento da Polícia Militar possui uma doença degenerativa na coluna lombar com neuropatia de ciático esquerda e dor crônica intratável, e não tem condições financeiras de pagar os medicamentos que dão em torno de 1 mil reais. A causa foi ganha sendo determinado que o Estado do Ceará e o Município de Fortaleza forneçam a medicação ao profissional de segurança.

O atendimento jurídico é garantido a todos os associados e funciona 24h, por meio do plantão jurídico. Para ter acesso, basta comparecer à sede da associação (Rua Pedro de Queirós, 1156 – Amadeu Furtado), de 9 às 17h, ou ligar para (85) 3085.3999 / 9 8936-7345.

Deixe seu comentário